Coisas da Cena
Publicado em: 28 de fevereiro de 2013 | Atualizado em: 27 de fevereiro de 2014

Review Carnaval Warung Beach Club 2013

Com slogan marcante, evento escreveu mais um importante capítulo na história do Club.

Se alguns queixavam-se sobre a gama musical dos últimos anos, diversidade foi o que não faltou nos 3 dias do Carnaval 2013. Do House ao Techno, foi possível agradar até mesmo as preferências sonoras mais exigentes, provou novamente ser o destino certo para os que não trocam por nada a chance de acompanhar em primeira mão as últimas tendências mais conceituais. 

Primeiro dia: 09/02

No Garden o pontapé inicial foi dado por Mandy Hafez, seguido do residente Daniel Kuhnen e pelo duo Cretini & Lazarenti (formado por Gustavo Conti e pelo residente Leozinho), que em vários momentos empolgaram o público presente. Mas foi a canadense Heidi, que com extrema destreza e personalidade, confirmou-se como a principal apresentação da pista nessa noite. 

Após o warm-up, Renee Mussi teve segurança para reconstruir a sequência iniciada de forma equivocada por seu antecessor, entregando perfeitamente para o live do DJ Matador. O artista Irlandês, que apesar da apresentação com cerca de uma hora, foi considerado por alguns como o destaque da noite no main room. Em seguida Richie Hawtin, aclamado por muitos como o "mago do techno mundial", agradou os fãs do gênero ao longo das mais de 5 horas de set. Com uma seleção de músicas que alternavam entre introspectividade e euforia, colocou a pista abaixo em várias oportunidades.

Segundo dia: 10/02

No Garden o warm-up ficou por conta do DJ Danee, acompanhado pelo bom gosto musical de Davis e Ale Reis. Iniciada às 02:30 como previsto, o trio Innervisions foi um capítulo a parte. Vanguardistas musicais, trouxeram ao público brasileiro extrema identidade e originalidade. O showcase debutado por Âme, brindou o público com um set conceitual ao extremo. Dixon foi o segundo a se apresentar, sendo o grande destaque do Carnaval. Com uma seleção musical totalmente atemporal, deixou incrédulos até os mais pesquisadores dos DJs presentes. Fechando os trabalhos foi a vez do alemão Henrik Schwarz, que manteve de forma inteligente a magia de uma das maiores noites que já pude presenciar (com direito ainda a uma jam session dos artistas no final).

https://soundcloud.com/daneedj/danee-innervisions-showcase

No main room a noite foi iniciada pelos gaúchos Juan Rodrigues & Fran Bortolossi, e seguida pelos sets dos residentes Albuquerque e Boghosian, preparando de forma precisa o "terreno" para o cogitado b2b da dupla Jones & Troxler. Jamie - conhecido como o "hit maker" galês da cena alternativa de house music - e Seth - número 1 do mundo em 2013 pelo portal Resident Advisor - fizeram uma parceria histórica ao longo de quase 6 horas, levantando a pista em praticamente toda a apresentação.

Terceiro dia: 11/02

Na última noite o start do Garden foi dado pela residente Aninha, em companhia de Antonela Giampietro. Segundo a tocar, Doriva Rozek realizou um long set de pouco mais de 3 horas de duração, passeando livremente pelas vertentes mais conceituais. Em seguida foi a vez dos integrantes da tour Circoloco Brasil assumirem os decks. Wild com uma performance mais "séria" e praticamente toda com músicas próprias, mesclou sons mais antigos com novas produções ainda não lançadas. Matthias Tanzmann vindo logo na sequência, apresentou ao público várias novidades em uma seleção mais descontraída, sendo pouquíssima coisa já conhecida do seu selo "Moon Harbour". Por fim, coube a Lee Burridge, mais uma ótima sequência musical da noite.

https://soundcloud.com/dorivarozek/doriva-rozek-live-at-circoloco-brasil-warung

No main os trabalhos foram iniciados pela carioca Dri K, seguido pelas seleções dançante dos residente Léo Janeiro e Renato Ratier. este último em parceria com o Grego CJ. Jeff. Em seguida quem comandou a pista foi o live do DJ Shaded, e por fim o "terror" do iraniano Ali Dubfire. Invejável construtor de sets, "castigou" com um techno pesado em suas 7 horas de apresentação, os sobreviventes da maratona até praticamente o meio dia de terça-feira. Com total domínio da pista, conseguiu segurar o público até o fim, com direito ainda à um gostinho de quero mais.

Impressão deixada:

Passadas 10 temporadas desde sua abertura, o Carnaval 2013 foi sem dúvidas o que representou maior importância histórica para o club do litoral catarinense. De posse de um slogan marcante, fez jus ao que prometia tanto em questão de organização como principalmente da experiência sonora proporcionada. Dentre todos os fatores relacionados ao evento, não cheguei a presenciar algo relevante que devesse ser apontado como ponto negativo nesse review. Tudo ocorreu de maneira eficiente. Resta deixar aqui, os meus parabéns a todos os envolvidos e responsáveis pela realização dessa grande celebração da música. Que venham mais experiências como essa no futuro. Vida longa ao Warung!

Fotos: Adriel Douglas / IMAGECARE
Vídeos: 
Gustavo C. Silva; Bruno Janke; Signei

imagem de alexandrealbini
Escrito por: Alexandre Albini

DJ pela AIMEC no ano de 2007. Colaborador do Portal Fly by Nighjt e do site e revista House Mag. Tem como hobbie escrever sobre música eletrônica nas horas vagas. Sua linha musical atual engloba o Minimal e Deep/Nu-Disco.

Comentários

Cadastre seu e-mail e receba uma vez por semana um resumo com as principais notícias do Psicodelia!

Psicodelia no Facebook