Conversamos com Bogea Gonçalves, criador do UP Audiovisual

Você com certeza já deve ter curtido o trabalho dele, confira!

Camila Canabarro em 19 de Janeiro de 2017

Pouquíssimos artistas no mundo trabalham um audiovisual voltado para a cena trance como Bogea Gonçalves, idealizador do projeto UP Audiovisual. A marca virou presença contante nos maiores festivais brasileiros e seus vídeos vêm ganhando cada vez mais espaço na divulgação de grandes artistas nacionais e internacionais. Além de contribuir muito para uma cena que necessita cada vez mais de profissionalismo, seus vídeos jamais são confundidos com os de outro produtor.

A história do criador da UP Audiovisual com a cena Trance brasileira é um pouco peculiar: Bogea iniciou na cena por acaso, quando foi convidado a fazer consultoria para uma empresa que atuava na cena trance. Radialista por formação, trabalhou durante muitos anos em diversos setores da televisão. Logo, aprofundou seus conhecimentos, conheceu a cena trance e se dedicou a fazer um incrível trabalho que hoje é apreciado por milhares de seguidores em sua página no Facebook e seu canal no Youtube.

"Quando comecei, poucas pessoas faziam registros de artistas e do publico da cena em geral, foi ai que tive a sacada de oferecer um trabalho diferenciado"

Natural de Recife, Bogea está morando atualmente em Curitiba, onde fica perto da equipe da DM7 Bookings, agência para a qual presta serviços regularmente. Nesta semana nós tivemos o prazer de entrevistá-lo e, esbanjando simpatia e otimismo, Bogea contou um pouco de sua história, sobre a cena trance em que está inserido e dá dicas para quem quer se jogar nessa área. 

 

Confira a entrevista completa

 

Você é hoje uma das maiores referências quando se fala em audiovisual na cena trance brasileira e os seus trabalhos são frequentemente compartilhados em sites e páginas brasileiras e gringas. Como o projeto UP Audiovisual começou?

Em 17/11/2013 começou o projeto Up Audiovisual com o intuito de promover a cena psy trance no seguimento de vídeo. Na época poucas pessoas faziam registros de artistas e do publico da cena em geral, foi ai que tive a sacada de oferecer um trabalho diferenciado não só na captação como na finalização do material, esse foi um dos primeiros videos feito pela Up Audiovisual: 

 

O que veio primeiro: os vídeos ou a música eletrônica?

Foi o vídeo, sou Radialista e trabalho com vídeo há mais de 10 anos comecei como operador de caracteres em programas de televisão e depois fui a procura de conhecimento e dois anos depois eu já tinha passado por todos os setores de um estúdio de televisão exercendo as funções de operador de gc, cinegrafista, editor, pós produtor, operador de audio, operado de vt, diretor de imagem, operador de grua e etc...

O trance apareceu quando fui convidado para dar consultoria a uma produtora chamada COMMOTION que atuava na cena psy trance no nordeste e foi amor a primeira vista e eu queria de alguma forma retribuir para a cena com o que eu sabia fazia de melhor que é produzir vídeo.

 

Você frequenta grandes festivais em todo o país, deve ter registrado vários momentos marcantes em cada um deles. Pode dividir conosco algum desses momentos?

Na cena psy trance cada momento é único por mais que você filme os mesmos artistas ou as mesmas festas, mas sem duvida alguma eu tive grandes momentos ao longo desses anos, um deles foi no shiva Trance festival 2015 onde pude captar um momento de troca de energia que ouve quando Inê estava tocando, foi algo sem palavras que até hoje me arrepio quando assisto, foi algo realmente sobrenatural Inê colocando amor em cada track e a pista retribuindo com uma energia maravilhosa até a propria inê não se aguentou e caiu em lagrimas foi realmente algo único. 

Outro momento incrível foi na Sonoora de 2016 onde o Vini Vici fez algo surreal, eu conseguir captar o exato momento em que mais de 6 mil pessoas saíram do chão e formaram um mar de gente, você olhava para qualquer lado e não via ninguém parado era algo impressionante e eu tive a honra de captar esse momento. 

Tiveram vários momentos incriveis fica difícil classificar alguns mas... O Soulvision 2016 me trouxe muitos registros lindos como esses. 

 

Você consegue curtir os festivais de que participa ou está lá apenas a trabalho?

Curto e muito rsrsr mas meu objetivo desde o principio é trazer para o trance um serviço de qualidade tanto para publico como para as festas e festivais, então meu foco maior é no pós evento por isso procuro sempre fazer meu trabalho com exelencia e quando você ama o que faz tudo vira diversão.

 

Quais os maiores desafios da sua profissão na cena em que você está inserido?

Para quem trabalha com audiovisual na cena psytrance o maior desafio é conseguir fazer o que ama e ser recompensado por todo o esforço implantado, seja reconhecimento financeiro ou por exercer algo importante para a cena, mas acima de tudo o maior desafio é você se desprender do ego profissional, achar que só existe você ali e ninguém pode ser melhor que você, lembre-se "ninguém é melhor que ninguém, mas... ninguém é igual", então procure fazer a diferença e se desprenda do seu ego, eu demorei um pouco para aceitar isso mas o crescimento só veio quando de fato eu me desprendi.

 

Seus vídeos costumam rodar o mundo em sites de música eletrônica. Você já viu seus trabalhos serem usados indevidamente por terceiros, como em material promocional sem autorização ? Como você lida com isso com direitos autorais vivendo nessa era da internet?

Constantemente tenho esse problema com paginas da cena psy trance e sites de musica eletronica ou até mesmo festas que usam meus vídeos para promoção de venda de ingressos e etc... eu procuro sempre entrar em contato e informar que o conteudo tem direito de criação e não pode ser vinculado para fins comerciais sem autorização, na maioria dos casos uma pequena conversa resolve, eu pratico essa forma de abordagem desde do inicio quando criei a Up Audiovisual, como trabalhei com televisão sei que existem materiais que não podem ser vinculados de forma alguma sem autorização de seus detentores, aqui no brasil isso é crime e tem a Lei nº 9.610 que defende os direitos autorais e de criação, mas é impossível conter a proliferação de conteudo na internet, mas sempre que posso faço uma busca e procuro dialogar para não entrar em um conflito juridico.

 

 

Quais as maiores dificuldades para se apresentar um projeto para o mercado?

Nunca vi dificuldade alguma, se você tem um projeto e sabe que ele pode fazer a diferença para a cena, e que pode trazer qualidade ao publico, promoter e artistas é só colocar em pratica e focar que acima de tudo isso é um trabalho, eu vejo alguns projetos novos na cena com dificuldade de ter uma projeção maior, mas na maioria das vezes é porque o individuo não sabe como aparesentar o trabalho para o promoter ou artista, não adianta chegar e cobrar mais barato que os outros, ou fazer de graça se você não sabe nem o que está fazendo, procure se especializar, criar uma identidade única, e faça "parcerias" de trabalho onde você exerce o seu trabalho e a outra parte seja promoter ou artista lhe der o reconhecimento devido.

 

Quais os requisitos para quem sonha em trabalhar dessa forma?

Ter conhecimento vasto no seu ramo, entender as linguagens técnicas para poder exercer um trabalho de ótima qualidade. Saber manusear as suas ferramentas de trabalho como câmeras e softwares de edição e pós produção, crie uma identidade única com o seu estilo de trabalho, o seu trabalho é reflexo do que você é como pessoa e é assim que os possíveis clientes vão enxergar, se você leva seu trabalho a sério todos vão respeitar o seu trabalho e você como pessoa e profissional.

 

Conte para nós quais são seus objetivos para o futuro.

Pretendo crescer a família Up Audiovisual com novos integrantes em breve, e tenho alguns projetos em mente que vão revolucionar o segmento audiovisual na cena psy trance mundial e em breve colocarei em pratica.

 

Saiba mais

Comente!

Conheça o trabalho de Juliano Coronat, de Curitiba
Conheça Victor Trevisan e seu trabalho à frente da 2Soul
Plataforma realiza mudanças radicais em sua estrutura para se manter viva
Entenda porque 2017 será lembrado pela derrubada de barreiras à pesquisa e ao uso terapêutico de drogas psicoativas como ayahuasca, LSD e ecstasy

psicodelia_org

Instagram: @psicodelia_org