Ecstasy adulterado faz novas vítimas no Reino Unido

Rolex Verde é apontada como principal causadora da nova onda de mortes

Eliel Cezar em 10 de Julho de 2013

O ano de 2013 vem sendo marcado no Reino Unido por diversas mortes relacionadas ao consumo de ecstasy falsificado. Em janeiro, noticiamos aqui as primeiras 5 mortes associadas ao consumo da droga. Agora, matérias publicadas em pelo menos dois jornais britânicos anunciam mais mortes. A BBC informa que 6 jovens morreram nos na Escócia. Segundo outro jornal, o Mirror, o total seria de 8 pessoas.

A "bala assassina" foi identificada como Rolex Verde. Ainda não se sabe exatamente a sua composição, mas levando em conta os casos que têm ocorrido nos últimos meses, é possível ter uma idéia: ao invés de conter MDMA (o princípio ativo do ecstasy), os comprimidos continham PMA, uma substância altamente tóxica, que tem a capacidade de simular os efeitos do MDMA, porém dando a sensação de que se trata de um produto bem mais forte. Se ingerido em excesso ou mesmo se misturado com o MDMA, pode desencadear diversos efeitos colaterais, incluindo aumento severo da temperatura corporal, levando à morte por falência múltipla dos órgãos.

Ainda segundo a BBC, a estrela amarela e mitsubishi branca também foram apontadas como potencialmente perigosas.

Como toda droga ilegal, a produção de ecstasy não possui qualquer tipo de controle ou padronização, o que torna seu consumo uma grande loteria. No entanto, para os jovens ingleses, a loteria se tornou uma verdadeira roleta russa.

Fatos como esse tornam o serviço prestado por sites como o Pill Reports cada vez mais importantes. Lá é possível encontrar um relatório completo sobre a origem e composição química de centenas de "marcas". Vale a pesquisa antes de sair comprando qualquer coisa por aí.

E em último caso, vale sempre seguir o conselho que todo mundo escuta dos avós: nunca aceite bala de estranhos.

-

Via Mixmag

Comente!

O Psicodelia preparou uma série de tracks apenas com os artistas dessa edição, confira!
Um dos festivais mais antigos do Brasil, conheça!
A escritora Marina Tavares traz o relato da sua experiência no Soulvision Festival, o melhor e mais tradicional festival de música eletrônica do carnaval! A matéria contou com a colaboração do projeto Coletiva.a.mente, unindo os melhores fotógrafos da cena, coordenados pelo mestre Lauro Medeiros. Confira também as entrevistas realizadas antes, durante e após o festival, com o projeto israelense Audiotec; o italiano Hypereggs da Looney Moon Records; e o criador da Nano Records, o sul-africano Regan.
Evento acontece em Curitiba de 15 a 16 de abril

psicodelia_org

Instagram: @psicodelia_org