Review: Respect 2017

Saiba como foi o festival em detalhes

em 27 de Maio de 2017

 

Entre os dias 28 de abril e 1 de maio aconteceu em Ilha Comprida/SP mais uma edição do Respect Arte e Cultura. O Psicodelia esteve presente e agora você confere as imrpessões que nossa equipe teve durante os 4 dias de festival:

Estrutura

A entrada do festival foi organizada, conversamos com algumas pessoas que entraram em horários diferentes tanto no primeiro quanto no segundo dia de festival e ninguém havia enfrentado fila. Esse ano a estrutura de Camping estava mais organizada que o anterior. O som do festival era bem alto na área de barracas, que ficavam atrás do palco.

Os banheiros contavam com equipes de limpeza fazendo o possível pra manter tudo limpo e entregando papel higiênico na entrada. Havia cerca de 10 chuveiros um de frente pro outro sem divisória.

Já O caixa do festival foi um problema, na maioria das vezes havia uma única pessoa atendendo, o sinal do cartão quase nunca funcionava, então quem não tinha dinheiro contou com a sorte ou teve que emprestar de algum amigo. 

A tenda do palco principal estava linda, rica em cores e desenhos. Localizado de frente par a praia, o palco principal estava muito bonito também, com desenhos trabalhados em telas que pareciam tecidos. No sábado a noite foi ligada uma projeção que deu ainda mais vida ao palco, ficou super legal.

Havia apenas um bar no festival com uma média de 6 pessoas atendendo, isso deixou a desejar, pois em vários momentos se formaram filas. Também foi comum durante os dias de evento acabarem os estoques de água e refrigerante, que demoraram a serem repostos. 

Preço do bar: Refri: R$ 6,00, Água R$ 4,00, Skol R$ 8,00 , Hineken R$ 10, Catuaba dose R$ 8,00

Alimentação:  Tinham várias opções  com preços acessíveis, como por exemplo Caldo verde e Caldo de feijão por R$ 10,00 – Pastel por R$ 6,00 – Hamburguer R$ 20 – Macarronada R$ 22 e alguns lugares funcionavam 24 hrs. Destaque para um shimeji com molho branco R$ 12 (Uma bela combinação)

Não haviam muitas crianças no festival e também não tinha um espaço dedicado exclusivo a elas.

Além da feira hippie com diversos produtos como roupas, acessórios, cartucheiras, bijuterias etc, havia também um espaço que oferecia massagem, ensinamentos de técnicas de meditação, etc (pago, não gratuito), tinha também tenda de pintura no rosto (pago). 

O Chill Out contou com diversas atrações de variados estilos não só eletrônico, era de frente pro mar e de dentro dava pra contemplar o nascer e por do sol de uma maneira única. A decoração era simples, mas bem praiana com a cor branca das lycras dominando a estrutura de bambu. Destaque para o som que variou nos estilos, tendo Dub, Soul, Dicso, Chill Out, Reggae, Trip Hop, Mantra, Forró.

SOM

No primeiro dia o som na pista principal começou as 16h20 com prog trance, indo para prog dark e subindo para full on night até 2h30, logo após foi a vez do high tech dominar a madrugada.

A manhã de sábado (7h30) começou com Goa Trance e, logo em seguida, foi a vez do full on dominar a pista, com uma bela sequência de lives até o meio-dia. Em seguida, foi a vez dos DJs de Progressive. Destaque para Mindwave que tocou um som bem melódico e E-Mov, que apresentou um som muito bem produzido e altamente dançante.

Os destaques da noite foram Neuroplasm e a sequência: Space Tribe, Electric Universe e ESP (Electric Space Tribe), com Space Tribe mostrando além de um som impecável uma presença de palco impressionante. Electric Universe mostrou seu som característico com muitas músicas novas. A junção dos dois funcionou muito bem, pois unia a base pegada do Electric Universe com a melodia psicodélica do Space Tribe.

No domingo, destaque para Korento e Divination, além da sequência com Sinerider, que tocou um set espetacular e M-Theory, este último talvez a grande surpresa do festival, apresentando um set com um full on melódico onde as melodias de uma música para outra eram perfeitas, resultando em um set emocionante e surpreendente. 

A segunda começou com 1 hora de full on night, seguida de 6 horas de high tech onde o dia começou com full on as 7hrs até as 15hrs, baixando para um prog trance até as 17h30 e teoricamente iria acabar as 19hrs com dub (Mad Professor), porém foi me informado que a festa so acabou mesmo as 21hrs, infelizmente já havia ido embora.

Confira outras imagens do evento: 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comente!

Tudo o que você precisa saber sobre a próxima edição da Mandallah!
Resultados ajudam a explicar os efeitos antidepressivos e anti-inflamatórios
O projeto E-music Lab também é conhecido como "Dj em Ação Social" conquistando pessoas para conscientização solidária e muita música eletrônica!

psicodelia_org

Instagram: @psicodelia_org