Festivais Psicodélicos Na Era Planetária

Publicado em 28/08/2008 - Por Eliel Cezar

 

 

Intitulado “Festivais Psicodélicos na Era Planetária”, o trabalho conferiu a Ana Flávia o título de mestre em Antropologia – Ciências Sociais pela PUC de São Paulo. O principal objetivo da pesquisa foi compreender o que representa esse movimento cultural que une música eletrônica, contato com a natureza, manifestações artísticas e que, para alguns participantes, inclui o uso de substâncias psicodélicas.

Na pesquisa, ela constatou que, estando inseridos em um contexto histórico de extremo consumismo associado à perda de valores espirituais e à extrema valorização ao mundo material, os festivais refletem a busca dos jovens por uma nova consciência. São, portanto, uma espécie de fuga de um mundo de valores massificados e cheio de repressão à liberdade individual. Como um espelho, também refletem alguns elementos atuais, como a relação com o avanço das novas tecnologias e o desenvolvimento da consciência a respeito da situação do planeta. Isso fica bem claro, por exemplo, na preocupação dos freqüentadores com o respeito ao meio ambiente.

Conforme ela mostrou na pesquisa, desde os primórdios da humanidade, os seres humanos se unem em rituais coletivos que celebram a vida e a morte, sendo que a base desses encontros sempre esteve centrada na música, na dança e no uso de substâncias psicoativas. Dessa forma, os festivais fazem parte de um movimento global da cultura psicodélica, que busca nos ritos e celebrações ancestrais suas inspirações para entrar em contato com a força que existe na natureza, nos seres humanos e no encontro coletivo.

Também é importante destacar que a grande maioria dos entrevistados afirmou que sua primeira experiência em um festival de trance foi tão profunda que chegou a mudar sua vida. A maior parte declarou ainda que, nesses eventos, sentem-se livres para ser e agir como quiserem, sem preocupar-se com padrões de comportamento socialmente impostos.

Para aqueles que, assim como eu, nunca estiveram num festival de trance, mas vivem se coçando para ir, é pra acender ainda mais a vontade. Definitivamente, festival é para quem busca mais do que parecer “descolado” porque freqüenta rave. É para quem quer algo a mais, que vá “além do seu próprio ego”, nas palavras de Ana Flávia.

Mas, o que seria esse conceito de era planetária que aparece no título do trabalho? Isso vamos deixar para explicar na próxima semana, quando vocês poderão conferir mais detalhes sobre a dissertação ao lerem o que a própria pesquisadora tem a dizer sobre o assunto.

[products limit="8" orderby="rand" order="rand"]